[ fechar ]
Jurubeba
Gilberto Gil

Juru juru juru juru juru jurubeba
Beba beba beba beba beba beba juru
Jurubeba

Licor licor licor licor licor de jurubeba
Beba chá de juru, beba chá de jurubeba
Oba, bicharada viva, pé de jurubeba
Jurubeba

Canta, passarada linda, flor de jurubeba
Quem procura acha cura, flor de jurubeba
Quem procura acha na raiz de jurubeba
Tudo que é de bom pro figueredo e que se beba

Feito vinho, feito chá
De licor, de infusão
Jurubeba, jurubeba, planta nobre do sertão


64728358
© Gege Edições / Preta Music (EUA & Canada)



Ficha técnica da faixa:
voz e violão - Gilberto Gil
voz e violão - Jorge Ben Jor
percussão - Djalma
contrabaixo - Wagner

Outras gravações:
"Gil e Jorge", Gil e Jorge, Universal Music 2002
"Serie colecionador", Gil e Jorge, Universal Music 1998
"Box Salve Jorge", Gilberto Gil e Jorge Ben, Universal Music 2009
"Grupo Equale", Albatroz
"Brasil sons e sabores", Mariana Aydar, YB Produção De Som E Imagem 2008

"Meu trabalho é frequentemente permeado por uma tendência a se aproximar das idéias do slogan e do jingle, que foi por onde eu comecei basicamente a fazer música: depois de compor algumas canções em casa, eu fui logo trabalhar para uma agência de publicidade de Salvador, fazendo jingles.

"Criei vários: de lojas de tecidos, de sapatos, de bateria de carro. Um deles, o dos calçados Calba, dizia: 'Parece incrível, mas é flexível/ É o calçado que você sonhou/ É bossa nova exclusiva da Calba/ É bossa nova que a Calba criou.' Era um sapato tipo Vulcabrás, versão baiana. O das lojas O Cruzeiro finalizava: 'Nas lojas O Cruzeiro seu dinheiro tem ainda o cartaz/ Nas lojas O Cruzeiro seu cruzeiro vale mais!'

"Um outro, das lojas Milisam: 'Milisam tem roupa feita para você comprar/ Sem sentir/ Compre de tudo pra vestir/ No crediário popular/ No plano espetacular/ Na sua Milisam'.

"Mais tarde, cheguei a fazer alguns no Rio. Um ano depois do meu primeiro disco, um deles ganhou um concurso aberto pelo Jornal dos Sports, que na época remodelava tipografia, cor, diagramação etc. Fiz também um jingle para os cigarros Hollywood; a canção falava sobre a fumaça como um veículo para os sentimentos e as idéias; como um puxador de emoções.

"A lógica do convencimento, do apelo à sedução, através do ressaltar de traços e elementos constituintes de alguma coisa, típica da linguagem de jingles, é uma característica que de vez em quando aparece nas minhas canções - a tentativa de ir diretamente ao interlecutor, sem intermediações, com 'um produto' a oferecer: um pensamento, um sentimento, um valor, uma avaliação, um modo de ver.

"Jurubeba, além de se utilizar da forma, teve mesmo a intenção de ser jingle: foi composta para fazer propaganda da bebida - um composto com vinho que contém boldo e apresenta propriedades medicinais, boa para o aparelho digestivo, e que lembra alguns amaros do Mediterrâneo. Eu gosto muito. Um amigo meu, o Synval da Costa Lima, irmão de Vivaldo da Costa Lima, antropólogo, tinha uma fábrica e costumava me mandar umas caixas de Jurubeba Leão do Norte. É a melhor."