[ fechar ]
Banda Um
Gilberto Gil

BandaUmBandaUmBandaUmBanda - ô-iê
Iê-iê-iê-iê
BandaUmBandaUmBandaUmBanda - ô-ô
(Iô-iô-iô-iô)

Banda Um que toca um balanço parecendo polka
UmBandaUmBandaUm
Banda Um que toca um balanço parecendo rumba
UmBandaUmBandaUm

Banda Um que é África, que é Báltica, que é Céltica
UmBanda América do Sul
Banda Um que evoca um bailado de todo planeta
UmBandaUm, Banda Um

BandaUmBandaUmBandaUmBanda - ô-iê
Iê-iê-iê-iê
BandaUmBandaUmBandaUmBanda - ô-ô
(Iô-iô-iô-iô)

Banda pra tocar por aí
No Zanzibar
Pro negro zanzibárbaro dançar
Pra agitar o Baixo Leblon
O Cariri
Pra loura blumenáutica dançar
(Hum...) Banda Um, Banda Um

BandaUmBandaUmBandaUmBanda - ô-iê
Iê-iê-iê-iê
BandaUmBandaUmBandaUmBanda - ô, ô

Banda Um que soa um barato pra qualquer pessoa
UmBanda pessoa afins
Banda Um que voa, uma asa delta sobre o mundo
UmBanda sobre patins

Banda Um surfística nas ondas da manhã nascente
UmBanda, banda feliz
Banda Um que ecoa uma cachoeira desabando
UmBandaUm, bandas mis

BandaUmBandaUmBandaUmBanda - ô-iê
Iê-iê-iê-iê
BandaUmBandaUmBandaUmBanda - ô-ô
(Iô-iô-iô-iô)


BRWMB9901141
© Gege Edicoes / Preta Music (EUA & Canada)



Ficha técnica da faixa:
voz e guitarra - Gilberto Gil
guitarra - Celso Fonseca
percussão - Repolho
baixo - Rubens Sabino (Rubão)
bateria - Jorge Gomes
sopros - Raul Mascarenhas
sopros - Paulinho Trompete
sopros - Sérgio Trompete
teclado - Ricardo Cristaldi

Outras gravações:
"Bandadois", Gilberto Gil, Gege Produções Artísticas 2009
"Um banda um", Gilberto Gil 1993
"Ao vivo em Toquio", Gilberto Gil, Warner Music 2002
"Um banda um", Gilberto Gil, Warner Music 2009

A umbanda - "O sentido universalista da umbanda como uma cisão do culto fechado das religiões, seja candomblé, seja a católica, ambas monistas, cada uma com a sua verdade; o panteísmo necessário da umbanda, uma religião que não é uma mas 'todas', misturando o kardeccismo, o catolicismo, o politeísmo africano. (E Banda Um é uma música-síntese com uma intenção e um conceito panculturalista, uma canção que cultiva as idéias de música, de juventude, de comportamento, de consumo e de vários nacionalismos.)"

A Banda Um - "E, ao mesmo tempo, o fato de sermos um pouco a Banda do Zé Pretinho [Gil se refere aqui ao grupo de Jorge Benjor, ao qual compara o seu]: Banda Um é como se fosse o nosso hino, o nosso prefixo musical."

A UmBandaUm - "Banda Um é uma coisa, e umbanda é outra, exatamente o oposto: Banda Um é uma banda; umbanda são todas as bandas - ou nenhuma, em princípio. 'UmBandaUm' [a repetição seguida de 'Banda Um' no verso faz ressoar a palavra 'umbanda'] estabelece o jogo dos contrários: faz o embutimento mútuo dos dois sentidos.

"A descoberta de todas essas coisas me animou à escolha, embora eu tenha hesitado muito em optar por Um Banda Um para nomear o disco e me apaziguar com a idéia de fazer esse tipo de brincadeira (que às vezes pode ficar gratuito; mas quando você descobre uma solução que, embora fácil, esteja carregada de sentido, e esse era o caso - 'umbanda' é uma palavra com uma carga enorme no Brasil -, aí, tudo bem). Acabei topando."

Palavras-valise - " 'Zanzibárbaro': do Zanzibar, um bar de negros, da Federação (bairro de Salvador). A loura 'blumenáutica': de Blumenau, e ao mesmo tempo náutica (a referência, embutida, aos esportes aquáticos, ao surfe, à juventude, ao mar, ao verão). Palavras-valises. Nelas cabe um bocado de idéias: você vai botando. É um dos procedimentos concretistas que mais me interessam. A invenção da palavra que é um condensado de significados."