Gil recebe na Suécia o Nobel informal da música

Fernando Duarte

O já inquieto Gilberto Gil desafiou ainda mais os 62 anos de idade em sua histórica passagem pela Suécia. Ainda que já tivesse tocado anteriormente no país, o show que o cantor e compositor fez em Estocolmo na noite de terça-feira ainda estava contagiado pela euforia vivida na véspera, quando Gil tornou-se o primeiro sul-americano a receber o Polar Music Prize, prêmio conferido pelo governo sueco e que é conhecido como um Nobel informal da música - também conferido pelo país. A honraria do brasileiro foi dividida com o barítono alemão Dietrich Fischer-Diskau.
O ministro da Cultura juntou-se a uma galeria ilustre do Polar Music Prize, que foi criado em 1993 por Stig Anderson (empresário do Abba, grupo musical de maior sucesso da história sueca) como uma forma de homenagear indivíduos considerados fundamentais para o desenvolvimento da música mundial. A honraria já foi conferida a nomes como Paul McCartney, Bob Dylan, B.B. King e Ray Charles. Gil recebeu o prêmio das mãos do rei Gustavo III, numa cerimônia realizada no Stockholm Concert Hall, teatro que abriga os eventos comemorativos do Nobel.
Além de uma placa, o cantor e compositor recebeu cerca de US$ 135 mil, dinheiro que Gil, de acordo com o que disse numa entrevista coletiva, usará para financiar uma viagem de férias com a família. Na mesma ocasião, quando perguntado sobre possíveis colegas que gostaria de ver indicados para o Polar Music Prize, sugeriu o tribalista e ex-Titã Arnaldo Antunes.
- É uma honra ter meu trabalho reconhecido depois de tantos anos de carreira. Dizem que sou um pioneiro da world music, mas isso foi minha intenção. Foi um impulso de quem cresceu ouvindo todos os tipos de música - afirmou Gil.
Ministro deu canja ao lado da banda Os Lourinhos
Na noite de segunda, Gil foi o destaque de um banquete oferecido pela família real no clássico Grand Hotel. Fischer-Diskau, de 80 anos, não pôde vir a Estocolmo por estar se recuperando de uma queda sofrida em Berlim. O brasileiro estava visivelmente emocionado quando cantou "Flora" e "Expresso 2222" para os convidados. Horas antes no Stockholm Concert Hall, ele subiu ao palco para uma canja em "Anda com fé", ao lado de Os Lourinhos, curiosíssima banda sueco-brasileira que intepretou algum de seus sucessos.



in O Globo, 25.05.2005
2670 registros:  |< < 241 242 243 244 245 246 247 248 > >| 
 
2009 © Gege Produções Artísticas Refazenda fez