Por um mundo sem fome

Gilberto Gil

   

Acabar com a fome no Brasil não é só um compromisso nacional. É um dever moral para com o nosso planeta

A LUTA da FAO (Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação) por um mundo sem fome para as gerações presentes e futuras é também a minha luta. É uma luta em que me empenho há muito tempo, como muitos outros brasileiros, como muitos outros artistas no mundo, mulheres e homens, cidadãos deste planeta Terra, que não se conformam em aceitar que o direito a ter um prato de comida seja coisa de alguns privilegiados.

A FAO me chamou há dois anos, para dizer que a minha luta era também a luta da FAO e que, com a minha música e a minha voz, nossa mensagem poderia chegar muito mais longe.

Dia 16 de outubro foi o Dia Mundial da Alimentação, em que a FAO lançou uma proposta a todo o mundo para criar uma Aliança Internacional contra a Fome.

Durante a Cúpula Mundial da Alimentação, realizada em Roma, em 1996, os representantes políticos de 186 países comprometeram-se a reduzir à metade, até o ano de 2015, o número de pessoas que passam fome no mundo. Desde então foram feitos progressos, porém muito lentos e insuficientes para alcançar a meta fixada na cúpula.

Os governos necessitam da colaboração de todas e de cada uma das partes de nossa sociedade: setor privado, público, organizações sem fins lucrativos, religiosas, comunidades de base. Necessitam da sua colaboração e da minha para fazer das promessas realidade.
Como ministro da Cultura do Brasil, quero fazer uma convocação aos artistas brasileiros (músicos, escritores, cineastas, artistas plásticos, bailarinos, atores, artesãos), e ao público também, para que participem dessa aliança, para que, juntos, busquemos a maneira de conseguir recursos e mobilizar a sociedade brasileira nessa nobre causa.

Chegou o momento de tornar realidade a vontade cívica de todos aqueles que nos perguntam como é possível que, em um mundo em que se produz muito mais alimento que o necessário, 840 milhões de pessoas passem fome crônica?

Em 1997, a FAO deu início ao Telefood, uma campanha de concertos, espetáculos desportivos e outras atividades para aproveitar a força dos meios de comunicação e a participação de celebridades a fim de sensibilizar os cidadãos de todo o mundo para a magnitude da fome e a necessidade de juntar esforços e agir. Durante os seis anos de ação do Telefood, foram organizados eventos especiais em mais de 70 países. Mais de 500 milhões de pessoas já desfrutaram dos espetáculos. Foram arrecadados mais de US$ 10 milhões, com os quais foram financiados mais de mil projetos para combater a fome em mais de cem países.

O Telefood já chegou ao Brasil. Agora está na Bahia. A solidariedade de muitos cidadãos anônimos permitiu a instalação de um aviário em Gameleira, que está gerando alimento para 85 famílias. No município de Santa Cruz da Vitória, 20 famílias estão melhorando a sua nutrição e obtendo alguma receita extra graças a um projeto de apicultura, financiado com os recursos do Telefood.
Minas Gerais, Alagoas e o Distrito Federal terão seus projetos Telefood em breve. E logo teremos também nosso espetáculo Telefood, que já batizamos como Concerto Mundial contra a Fome, com o qual serão arrecadados fundos para financiar pequenos projetos de agricultura, pecuária e exploração pesqueira e que ajudarão um grande número de famílias brasileiras sem recursos a produzirem mais alimentos.

O Brasil necessita, neste momento, dar ao mundo um exemplo de cidadania, de solidariedade e de amor. Acabar com a fome no Brasil não é só um compromisso nacional. É também um dever moral para com o nosso planeta.

Como embaixador da FAO, sinto-me honrado em retransmitir trechos da mensagem que o diretor-geral da instituição, senhor Jacques Diouf, dirigiu ao povo brasileiro:
"O tema do Dia Mundial da Alimentação deste ano, Aliança Internacional contra a Fome, é de particular importância para impulsionar o cumprimento do objetivo estabelecido pela Cúpula Mundial da Alimentação, de reduzir em 50% a fome de 840 milhões de pessoas até o ano de 2015. Essa meta não poderá ser alcançada com os níveis atuais de redução da fome, em razão principalmente da falta de decisão política e da limitação de recursos para combater a fome e promover o desenvolvimento (...).
Foi com enorme satisfação que recebemos a notícia, entre outras, de que, no Brasil, esse problema está alicerçado numa aliança nacional com todos os setores da sociedade, que estão sendo mobilizados na campanha nacional contra a fome, em parceria com os setores público e privado (...).

A aliança nacional brasileira contra a fome é um elemento catalisador fundamental para a formação da aliança internacional. As alianças nacionais para combater a fome são os elos que formam a corrente da aliança internacional. A aliança brasileira é também uma semente que pode ser multiplicada, inspirando outras sociedades e outras nações a serem solidárias em nossa causa comum.

Finalizando, gostaria de ressaltar nosso reconhecimento ao Brasil pelo compromisso de sua sociedade e do seu governo no trabalho de, juntos, eliminarem a fome no país".



twitter
in Folha de São Paulo, 19.10.2004
 
30 registros:  |< < 1 2 3 > >|