Conheça a história da música que uniu Paralamas e Gilberto Gil

“A Novidade” é uma parceria dos Paralamas do Sucesso (Herbert Vianna, Bi Ribeiro e João Barone) com o cantor Gilberto Gil. A canção nasceu primeiro como melodia instrumental e foi enviada em fita cassete por SEDEX para o compositor baiano escrever a letra. Giberto Gil estava em Florianópolis, em um Hotel com vista pro mar, quando recebeu a ligação de Herbert Vianna – então um jovem ansioso para fechar a única faixa que faltava do disco Selvagem (1986). Em seu site oficial, Gil conta como se deu o processo de feitura da letra de “A Novidade”:

“Fui pro hotel e botei a fita no gravador. Depois de umas quatro passadas, saí anotando. Eram mais ou menos duas da tarde. Às três horas eu estava ligando pro estúdio já para passar a letra. Foi uma coisa assim: bum! A letra veio como um tiro certeiro, absolutamente de chofre, inteira. E de um modo surpreendente até pra mim, porque, mesmo sem tempo pra qualquer avaliação crítica no dia seguinte, resultou no que eu acho um dos meus melhores textos – pela escolha e pela maneira de tratar o assunto, pela concisão e pela elegância da construção.”

A letra foi passada por telefone naquele mesmo dia e emocionou o trio paralâmico: “Ele (Gil) escreveu a letra em cima certinho, respeitando as divisões, a métrica. Foi demais. O Herbert escrevia (a letra) e chorava de emoção. Quando ele acabou de escrever, gritava: ‘olha só que coisa linda!'”, revelou o baterista João Barone em entrevista à Folha de São Paulo.

O álbum Selvagem marcou uma mudança musical dos Paralamas do Sucesso. Vindos do sucesso de “O Passo do Lui”, o grupo arriscou em uma sonoridade própria, agregando elementos do reggae/dub jamaicano e da música baiana. O disco foi gravado pelo produtor Liminha, no récem-lançado estúdio Nas Nuvens, tendo sido bem recebido pela crítica e pelo público: em um mês o álbum já havia vendido 300 mil cópias.

Além da sonoridade, uma das características do disco Selvagem são as letras politizadas, como é o caso de “A Novidade”. Sobre esta abordagem na canção, Gilberto Gil explica:

“O tema da desigualdade sempre fez parte do modo de inserção da minha geração na discussão dos problemas da sociedade; do nosso desejo de expressá-los. Universitário por excelência, o tema é portanto anterior e recorrente em meu trabalho. Está em Roda, em Procissão, em Barracos. Agora, em “A Novidade”, a imagem da sereia é que dá a partida para o tratamento da questão; a novidade é essa. Pode-se imediatamente pensar no Brasil, mas é sobre o Terceiro Mundo em geral; mais: sobre todo o ‘mundo tão desigual’, mesmo, de que fala o refrão.”

“A Novidade” foi lançada com clipe gravado na barca Rio-Niterói com a direção de Roberto Beliner e Sandra Kogut. A película registra a reação dos passageiros enquanto Os Paralamas tocavam no teto da embarcação e o som era transmitido nas caixas.



twitter
in Som do Som, 20.08.2017
 
2670 registros:  |< < 3 4 5 6 7 8 9 10 > >|