Gilberto Gil, Gal Costa e Nando Reis apresentam novo show na Concha

Ana Carolina Passos

O que seria um encontro casual em comemoração ao centenário de Ulysses Guimarães, no ano passado em Brasília, uma sugestão do falecido jornalista Jorge Bastos Moreno em um apresentação apenas para convidados, tornou-se um dos shows mais emblemáticos de 2017.

A junção de Gal Costa, Gilberto Gil e Nando Reis – que formam o projeto Trinca de Ases –, chega a Salvador neste domingo, 15, às 19h, na Concha Acústica, após ter passado por São Paulo, Rio de Janeiro, Fortaleza, Recife e João Pessoa. Sucesso garantido, tanto que os cinco mil ingressos da Concha se esgotaram em apenas duas horas.

Definidos no material de divulgação como a moça, o rapaz maduro calejado pela idade e o menino impetuoso e viril, o trio traz na essência do projeto um intercâmbio entre gerações, já que Nando bebeu da fonte de Gal e Gil, que dividiram muitos palcos em suas trajetórias musicais.

“Somos uma trinca formada por dois ases de geração mais velha e um ás de uma geração mais média e aceitamos, com prazer, que apostem em nós comprando ingressos para nos ver, ouvir e aplaudir”, reflete Gil sobre o show.

Para Nando Reis, ter o privilégio de compartilhar suas canções com Gal Costa e compor com Gil é um momento único e de muita felicidade.

“É uma honra, até porque eles são uma referência pra mim. Eles são responsáveis pela minha formação como músico e como indivíduo. Tem sido uma experiência única trabalhar com eles, ver o Gil criando e ouvir a Gal cantar coisas minhas”, afirma Nando.

Gal relata que não tinha um conhecimento profundo da obra de Nando, mas que é um privilégio poder partilhar o repertório.

“Gosto muito das composições do Nando. Descobri uma beleza que desconhecia na maioria das suas canções. Estou amando. Estar com o Gil no palco é sempre mágico, emocionante”, conta Gal.

O diálogo dos violões de Gil e Nando, além da voz de Gal, ganham reforço junto ao baixista pernambucano Magno Brito, integrante da banda Sinara e o percussionista baiano Kainan do Jêjê, que trabalha com Ivete Sangalo e também com a Sinara – banda composta pelos netos de Gil.

“Acho que o maior desafio foi assumirmos uma postura de banda com dois violões, um baixo e uma percussão e, ainda assim, fazer um som robusto e razoavelmente agradável”, diz Gil sobre a composição musical do projeto.

Repertório

A apresentação conta com três canções inéditas, são elas: Trinca de Ases (Gilberto Gil), Dupla de Ás (Nando Reis) e Tocarte, que tem letra de Gil e recebeu a melodia de Nando.

O show traz os sucessos das carreiras dos três artistas, como Baby, Esotérico, Segundo Sol e outras canções icônicas que vão ter novas roupagens e interpretações neste domingo.

“Acredito que o público de Salvador vai se surpreender com as versões que fizemos das canções e com as músicas novas também. O show está lindo”, afirma Gal Costa.

Trajetória

Em paralelo ao Trinca de Ases, que já tem data marcada para Porto Alegre, Curitiba, além de novamente Rio de Janeiro e São Paulo, os artistas seguem os projetos pessoais.

Gal Costa segue com a turnê Estratosférica, que tem o lançamento do DVD homônimo previsto para novembro. “Música é uma arte que faz parte da minha vida sempre, seja fazendo show sozinha ou com o Trinca. Estou muito realizado com esse projeto e Estratosférica é um presente”, conta.

Gilberto Gil, que foi homenageado por seu filho Bem em Refavela 40 e está em processo de gravação de um novo álbum, não para. “O disco que vem aí não me parece apresentar uma faceta nova, senão uma porção de facetas, as que já estão estampadas na minha história musical e os últimos pequenos traços recentes da minha sensibilidade criativa. Quem não morre, envelhece. É bom envelhecer cercado de afeto, respeito e compartilhamento com a família musical”, reflete Gil.

Nando Reis continua com a turnê solo Jardim Pomar. “Estamos viajando o Brasil todo com ela e tem sido maravilhoso”, afirma.



twitter
in A Tarde - BA, 14.10.2017
 
2780 registros:  |< < 2 3 4 5 6 7 8 9 > >|