Trinca de Ases formada por Gil, Gal e Nando Reis se apresenta em Portugal

Nando Reis, Gal Costa e Gilberto Gil formam o “Trinca de Ases” e estreiam-se em Portugal neste mês de março com três apresentações no país. Os concertos serão realizados em Lisboa nos dias 9 e 10, e dia 11 no Porto.

Nando Reis é o menino impetuoso e viril. Gilberto Gil, o rapaz maduro calejado pela idade, Gal Costa, a moça. Gil compôs a canção Trinca de Ases pensando nessas “imagens-fantasia”.

“Trinca de Ases” é a música inédita de Gil, que batizou o trio, são assim “Três mosqueteiros, três patetas, três poetas da canção”, como descritos no verso da mesma, juntaram-se não só para celebrar a história de cada um e os novos temas que nasceram deste feliz encontro.

O projeto musical nasceu no ano passado como uma homenagem ao centenário de Ulysses Guimarães (um dos principais opositores à ditadura militar brasileira), idealizada pelo jornalista brasileiro Jorge Bastos Moreno, nasceu apenas com as vozes do trio e os violões. Deste encontro nasce um espetáculo intimista que ganhou uma nova cara e também encorpou, houve um identificação musical e uma química que funcionou entre os três artistas. Depois de estrearem em São Paulo e Rio de Janeiro em agosto de 2017, foram várias as cidades por onde passou, chega finalmente a Portugal em Março para dois concertos inéditos com um repertório de músicas inéditas e sucessos.

O diálogo dos violões de Gil e Nando, e voz de Gal cria uma união, para além de estarem os três a tempo inteiro no palco, em todas as formações vocais possíveis (trios, duetos e solos), contam com o reforço de dois grandes músicos: o baixista pernambucano Magno Brito e o percussionista baiano Kainan do Jêjê.

Este espetáculo é de uma relação de fascínio mútuo, a empatia e a comunicação entre artistas é notória, onde Gal reconhece a descendência (“Nando é nosso filho”, brinca). Com Gil, o “pai”, Gal tem uma longa lista de parcerias: o espetáculo “Nós, por exemplo” (1964); o álbum-manifesto “Tropicália ou Panis et circensis” (1968); a turnê dos Doces Bárbaros (1976); o espetáculo em Londres (gravado em 1971, mas editado em disco só em 2014). Nando é o “menino impetuoso”,( cuja a voz de Gal traçou os contornos da sua música) o elemento novo nesta equação que chega como catalisador, um gatilho de outros caminhos – este é um espetáculo com a direção musical do trio e assessoria artística de Marcus Preto, que dirigiu Gal em “Estratosférica”.

“Trinca de ases” ganha não só quando lança as antigas e infalíveis canções dos repertórios dos três craques da música popular., como também a base são as obras sólidas de Gil e Nando, revividas com as tramas dos violões dos artistas (e Gil é, também, um ás do violão pleno de musicalidade).

A audácia de três mosqueteiros, a leveza de três patetas, e a grandeza de três poetas – “Trinca de Ases”, em Portugal.

São muitos os que querem ver este concerto inédito que num só palco junta Gilberto Gil, Nando Reis e Gal Costa, além dos espetáculos já agendados para os dias 9 de Março no Campo Pequeno e 11 de Março no Coliseu do Porto quase esgotados, anunciamos uma data extra para Lisboa. O Campo Pequeno recebe em dose dupla o aclamado projecto Trinca de Ases, a 9 e 10 de Março.

Campo Pequeno – 9 e 10 de Março

Coliseu Porto – 11 de Março

Gilberto Gil, o rapaz maduro calejado pela idade, Nando Reis é o menino impetuoso e viril. Gal Costa, a moça. Gil compôs a canção “Trinca de Ases” pensando nessas ‘imagens-fantasia’. “Trinca de Ases” é a música inédita de Gil, que batizou o trio, são assim “Três mosqueteiros, três patetas, três poetas da canção”, como descritos no verso da mesma, juntaram-se não só para celebrar a história de cada um, como também para cantarem os novos temas que nasceram deste feliz encontro.

O diálogo dos violões de Gil e Nando, e a voz de Gal criam uma união, para além de estarem os três a tempo inteiro no palco, e em todas as formações vocais possíveis (trios, duetos e solos), contam apenas com o reforço de dois grandes músicos: o baixista pernambucano Magno Brito e o percussionista baiano Kainan do Jêjê.

“Trinca de ases” ganha não só quando lança as antigas e infalíveis canções dos repertórios dos três craques da música popular, como também, a base são as obras sólidas de Gil e Nando, revividas com as tramas dos violões dos artistas. A audácia de três mosqueteiros, a leveza de três patetas, e a grandeza de três poetas – “Trinca de Ases”, em concerto, chega finalmente a Portugal já em Março.



twitter
in Cult Magazine, 01.03.2018
 
3017 registros:  |< < 1 2 3 4 5 6 7 8 > >|