Um Brasil para ingleses verem

Cristiano Castilho

Gilberto Gil, Maria Bethânia, Milton Hatoum, Ernesto Neto e outras celebridades artísticas brasileiras já estão a postos para invadir a terra da rainha. O Festival Brasil - que começou no dia 19 de junho, com a instalação de restaurantes típicos brasileiros - entra em nova fase e leva música, artes visuais, dança, literatura e cinema feitos por aqui até Londres, na Inglaterra.

A "invasão" tupiniquim se­­gue até o dia 5 de setembro no Southbank Centre, principal complexo artístico da cidade europeia. É lá que se encontram os badalados Royal Festival Hall, Queen Elizabeth Hall, Hayward Gallery e a Purcell Room.

Além de artistas consagrados e já conhecidos do público europeu - leia quadro ao lado -, outros, como a cantora Mart'nália, irão revelar um aspecto mais pulsante e atual da cultura nacional. "O Festival Brasil oferece a oportunidade de envolvimento com a cultura vibrante do Brasil. Reúne artistas renomados e apresenta uma leva de novos talentos", disse Marcelo Velloso, diretor de mar­­keting do HSBC Brasil - patrocinador do evento. Segundo o em­­presário, a curadoria trabalhou du­­rante dois anos para definir os nomes dos participantes.

Além de promover um verdadeiro carnaval no centro de artes londrino, o evento também fará um tributo à arte gráfica e ao grafite - que marcam a paisagem urbana das grandes metrópoles do Brasil. "Nosso objetivo é en­­contrar o que está no coração da cultura brasileira hoje, o que o país está pensando e falando", diz Jude Kelly, diretor artístico do Southbank Centre. ?O intercâmbio cultural com países de economias emergentes, como Índia, Chi­­na e Brasil, reflete nossa convicção de que, com a compreensão da cultura de um país, mais fortes poderão ser as relações comerciais internacionais estabelecidas com ele?, conclui Kelly.

Exatamente por isso, em 2008 e 2009, ocorreram em Londres eventos similares que difundiram a cultura e a arte da China e da Índia, respectivamente. A escolha do Brasil como país re­­pre­­sentado em 2010 não é mera coincidência.

"O Brasil é um país-chave na estratégia mundial do HSBC, que tem foco em mercados emergentes. Além disso, está em evidência pela sua pujança econômica, cultural e esportiva, ainda mais nestes tempos de Copa do Mundo e futura Olimpíada", diz Velloso.

De lá para cá

Questionado sobre a programação um tanto inconstante do Teatro HSBC, em Curitiba, Marcelo Velloso explica que o espaço ficou fechado por 15 meses e reabriu no dia 29 de março deste ano - com uma exposição do fotógrafo Jader Rocha e um show para convidados da Orquestra Sinfônica do Paraná com a banda Blindagem.

"Desde então, há uma programação de peças, shows, oficinas e eventos educacionais amplamente divulgada e com excelente receptividade do público", afirma o empresário.

O último evento no Teatro HSBC foi o 7.º PUTZ Cultural - Festival Universitário de Cinema e Vídeo de Curitiba, entre 25 e 29 de maio. Segundo a coordenadora do teatro, Meire Abe, a programação cultural do espaço terá novo capítulo no fim de julho, com um evento musical que fará tributo ao rock dos anos 1980.

Serviço
Datas das apresentações e outras informações sobre o evento podem ser encontradas no site www.hsbc.com.br/festival_brazil.



twitter
in Gazeta do Povo/ Online, 01.07.2010
 
3112 registros:  |< < 282 283 284 285 286 287 288 289 > >|