Documentário percorre pensamento de Gil através de encontros, lugares e canções

Wilson Spiler

A Iyá Omin Produções está rodando, em coprodução com a Paris Entretenimento, o documentário “Disposições Amoráveis”. O filme percorre o pensamento de Gilberto Gil através de encontros, lugares e canções. A pesquisadora Ana de Oliveira, coautora do livro homônimo, dirige o longa. Ela traz para o centro da discussão a linha temática amor e futuro. O tema guiará conversas, servindo como propulsora de assuntos. Movendo lembranças, bem como sentimentos e histórias, a produção promoverá troca de ideias e experiências a fim de construir um grande painel dialógico em que, direta ou indiretamente, todos os personagens acabem conversando com todos.


Em junho, a equipe registrou um grande encontro de Gil com o ex-presidente do Uruguai, Pepe Mujica. Agora, será filmado, neste 2 de julho, um raro eclipse total do Sol, em pleno deserto do Atacama, no Chile. As gravações continuam no segundo semestre. Elas acontecem no Brasil, bem como na Índia, nos Estados Unidos e no Oriente Médio.

“Este é um filme sobre a arte do encontro, sobre o amor como forma de resistência e sua intrinsecabilidade com o futuro da existência humana. Enfim, um filme sobre as disposições amoráveis que precisamos cultivar no mundo em tempos de dualismos e posicionamentos extremos”, diz Ana.

Ainda de acordo com a diretora, “Gil praticamente gerou um sistema que repensa a questão da fala biográfica. Ele faz reflexões sobre a vertigem da tarefa de viver, de compor, de ser alegre, de ser triste, de falar do passado, do futuro, do fim de tudo, de sua obra musical, da era da internet, de movimentos sociais e da não morte”.

Ainda não há previsão de estreia para “Disposições Amoráveis”. A distribuição será da Paris Filmes.

Sobre Ana de Oliveira

Ana de Oliveira é autora, bem como editora e pesquisadora. Baiana radicada em São Paulo. Além disso, é coautora, com Gilberto Gil, do livro “Disposições Amoráveis”. Concebeu e editou o livro-objeto “Tropicália ou Panis et Circencis”, o primeiro livro sobre disco publicado no Brasil. Ana também criou o site www.tropicalia.com.br, a maior referência de informação sobre o movimento tropicalista. Ademais, integrou a equipe curatorial e de pesquisa da exposição internacional “Tropicália: A Revolution in Brazilian Culture”, realizada pelo Museum of Contemporary Art Chicago e Bronx Museu. Roteirizou também os vídeos exibidos na mostra. Em 2017 lançou outro livro-objeto, “Acabou Chorare”. A saber, a obra reúne textos e projetos visuais de artistas, escritores, compositores e intelectuais de diferentes vertentes que reinterpretam, recriam ou se inspiram nas composições do clássico LP dos Novos Baianos.



twitter
 
3112 registros:      1 2 3 4 5 6 7 8 > >|