Eletracústico

Em 2004, o ministro Gilberto Gil largou o terno um pouco de lado e botou suas dread locks e sua voz aguda a serviço de seu próprio repertório, em uma série de shows batizada de "Eletracústico" (Warner). Não tem baixo, nem guitarra, nem metais: só violão e percussão na comemoração dos 40 anos de carreira do velho Gil. E, claro, um repertório invejável: "Refazenda", "Andar com fé", "Aquele abraço", "Maracatu atômico"... claro, tratando-se de uma carreira tão sólida e produtiva, fica faltando um monte de coisa... "Esotérico", "Nos barracos da cidade" e "Vamos fugir", para citar os clássicos. Mas tem uma versão bossanovística para "Imagine", de John Lennon. Se surpreende? Depois que ele virou Ministro da Cultura? Claro que não...



twitter
in Tribuna de Minas, 06.01.2005
 
2822 registros:  |< < 274 275 276 277 278 279 280 281 > >|